Selecione o tratamento desejado abaixo:

- Cirurgia

- Endodontia (Canal)

 

- Estomatologia

- Implantes Dentários

 

- Odontologia Estética

- Odontopediatria

 

- Ortodontia

- Periodontia

 

- Prótese Dentária

   

Cirurgia


Dente de Siso
Um dos tipos de procedimentos cirúrgicos mais comuns da odontologia é a remoção de dente de siso incluso e/ou impactado. Muitas vezes, a falta de espaço e o mal posicionamento do 3ª molar pode acarretar problemas ao paciente, sendo indicada a sua remoção.
Os terceiros molares conhecidos como "dentes de siso", normalmente erupcionam entre os 17 e 25 anos de idade, ou seja, são os últimos a aparecerem na boca. 

Um terceiro molar erupcionado parcialmente pode provocar gengivites (inflamação da gengiva), abscessos, irritação local, dor, edema e até mesmo o aparecimento da cárie dental, já que a higienização se torna difícil na região. 

Quando o terceiro molar fica totalmente incluso (dentro do osso), pode produzir reabsorção do dente vizinho, transtornos dolorosos e até degenerações (lesões císticas). 

Então, a extração do terceiro molar é indicada quando ele está mal posicionado, quando não há espaço suficiente na arcada, em quadros de dor e quando a erupção não se completa. 

Para que a cirurgia tenha um pós-operatório tranqüilo e sem grandes desconfortos para o paciente, existem medicamentos adequados que são prescritos pelo Cirurgião Dentista. 

No dia-a-dia de uma clínica odontológica a extração dentária é um procedimento rotineiro, como já foi dito, mas existem outras inúmeras cirurgias orais passíveis de serem realizadas nos consultórios dentários, como: remoção de torus, remoção de mucoceles, frenectomias, entre outras.





Endodontia (Canal)


POR QUE EU PRECISO DE TRATAMENTO DE CANAL?
O dente, como qualquer outro tecido vivo, precisa de nutrição. Esta nutrição é fornecida pela polpa do dente, popularmente conhecida como “nervo”. A polpa é um órgão composto por vasos sanguíneos, tecido conjuntivo e tecido nervoso. Quando agredida por cárie, doença periodontal, restaurações extensas ou trauma, a polpa responde com inflamação, que ao contrário de outras partes do corpo, é irreversível e precisa ser removida. Esta remoção e o posterior preenchimento do espaço antes ocupado pela polpa com um material inerte, biologicamente compatível, chama-se Tratamento Endodôntico ou tratamento de canal.
Em outros casos, a polpa se encontra necrótica (sem vitalidade) e infectada por bactérias. Este “foco de infecção” prejudica a saúde geral e deve ser banido, através do tratamento de canal. Se o canal nao for tratado a tempo, o dente será perdido, provocando um grande desequilíbrio na saúde bucal.
NÚMERO DE CONSULTAS
Normalmente, o tratamento de canal é feito em uma única sessão. Em casos com infecção severa e/ou múltiplos canais, uma segunda ou até terceira consulta pode ser necessária
CUSTO DO TRATAMENTO
O custo do tratamento de canal varia de acordo com o grau de dificuldade de cada caso em particular. De um modo geral, o investimento que este tratamento representa é significativamente menor que nos casos onde o dente é perdido.
EXPOSIÇÃO À RADIAÇÃO X
Em média, durante o tratamento de canal sao feitas 4 radiografias. A quantidade de radiação que os pacientes sao expostos é muito baixa e nao representa risco nenhum à saúde. Nao obstante, cuidados especiais sao tomados com pacientes gestantes.
FATOS E MITOS
· Um dente com o canal tratado se torna  fraco:
FATO: Realmente, depois de um tratamento de canal o dente se torna mais susceptível à fratura, pela perda de estrutura. No entanto, quando este dente é restaurado a tempo, sua resitência é recuperada e seu retorno à função normal é imediato.
·Um dente com o canal tratado fica escuro: 
MITO: Quando um dente tem seu canal tratado e a cavidade de acesso a este canal é bem limpa e restaurada, nao ocorre escurecimento.
· O tratamento de canal é muito dolorido e desconfortável:
MITO: Com técnicas modernas de anestesia, consegue-se controlar de maneira satisfatória a dor durante o tratamento de canal. Após o tratamento, em alguns casos, lança-se mão de medicações sistêmicas para o controle da dor pós-operatória
· O dente com o canal tratado é um dente morto:
MITO: A nutrição do canal propriamente dito é interrompida com o tratamento de canal. No entanto, o suprimento sanguíneo e a inervação dos tecidos circunvizinhos mantém a sua vitalidade, fazendo com que um dente com seu canal tratado ainda sinta pressão, tato e dor.
ACABOU O TRATAMENTO DE CANAL. E AGORA?
Após o tratamento de canal, o dente deve voltar às suas funções normais de mastigação e estética. Por isso, você deve procurar o seu dentista o mais breve possível para que seja colocada uma restauração sobre o dente tratado.
Enquanto isso, um material restaurador provisório foi colocado em seu dente para manter saneado o canal que foi obturado. Este material garante boa vedação, mas por tempo limitado pois sofre desgaste com o uso. Estudos recentes demonstram que mesmo tratamentos de canais bem conduzidos falham se não forem restaurados a tempo. Falhas do tratamento de canal ocorrem por recontaminação ou por fraturas, muito comuns quando o dente não é restaurado logo.
EU VOU SENTIR DOR?
O tratamento de canal é relativamente agressivo para os tecidos circunvizinhos. Na maioria dos casos tratamos de lesões crônicas, onde nao havia dor, mas mesmo assim, considera-se “normal” algum desconforto nos dias que se  seguem à obturação dos canais.
Sem Pânico! Siga corretamente as instruções que lhe foram dados e tome a medicação prescrita. O quadro doloroso vai ser minimizado.
Em casos onde existe infecção, especialmente nos retratamentos endodônticos (dentes que já sofreram tratamento de canal antes) é comum prescrevermos antibióticos.
Estes dentes provocam muitas vezes sinais e sintomas como: edema(inchaço) intra ou extra oral, dor intensa, e/ou febre. Enfatizamos mais uma vez, tome corretamente a medicação prescrita, exatamente pelo tempo prescrito.
MAS DOUTOR, O SR. GARANTE QUE EU NAO VOU MAIS TER PROBLEMAS COM MEU DENTE?
O índice de sucesso do tratamento de canal é alto, próximo de 90%. Poucos procedimentos em áreas médicas têm tanto êxito. Mas, como em biologia não existe 100%, alguns casos falham. Quando isto ocorre, um retratamento ou um procedimento cirúrgico, podem ser necessários.
O tratamento de canal não é para sempre! Quando uma nova restauração for colocada sobre este dente, ou quando houver infecção através de infiltração da restauração, recomenda-se refazer o tratamento de canal.
Marque em sua agenda: fazer controle radiográfico cada 6 meses, por dois anos, após o tratamento de canal.
 

 

Dente com cárie extensa       Tratamento de canal      Dente com canal tratado





Estomatologia


Estudo e tratamento das doenças e alterações com manifestações na cavidade oral (boca), como doenças causadas por fungos, bactérias, etc. O estomatologista, diferente do dentista clínico, atua como um médico, examinando e dando um possível diagnóstico e tratamento através de uma consulta ou indicando e/ou realizando o uso de cirurgias ou biópsias quando necessário.





Implantes Dentários


 

 

 

 

 

Os implantes são pinos ou parafusos de titânio utilizados para substituição da raiz de dentes perdidos, que servirão de base para a futura prótese (dentes). O implante fica firmemente aderido ao osso por meio da osseointegração, que é um processo natural onde o osso e o implante de titânio puro se integram, proporcionando uma estabilidade parecida com a dos dentes naturais. Com o avanço nos estudos dos implantes, hoje em dia é possível proporcionar dentes que se pareçam e funcionem como se fossem seus de uma forma bem segura em até 72 horas, sem o risco de rejeição, pois não existe rejeição quando o assunto é implante. 

A taxa de sucesso dos implantes osseointegráveis é alta, havendo diversos estudos científicos comprovando sua eficácia, mesmo após muitos anos em função mastigatória. NÃO EXISTE A REJEIÇÃO EM IMPLANTES.  O Implante não é “rejeitado” pelo organismo pois é feito de titânio, que é um material muito bem aceito pelo corpo humano e muito utilizado na medicina (no caso de fraturas em ortopedia por exemplo).

Existe, porém, uma possibilidade pequena de perda do implante (não ocorrência da osseointegração), em torno de 2 a 5% dos casos, que normalmente ocorre logo após o período de repouso pós-implantação; o que torna a técnica muito segura e previsível. Essa perda se dá por alguns fatores, como por exemplo uma má higiene na região aonde foi instalado o implante.. Nesses casos o implante é removido facilmente, podendo um novo implante ser recolocado no local. Uma vez osseointegrado, o implante corretamente instalado e a prótese adequadamente planejada praticamente eliminam a chance de fracassos.
 
Eventuais perdas de implantes podem estar, no entanto, associadas à infecção, sobrecarga prematura dos implantes, má higienização local, ou casos em que o paciente não apresente um quadro sistêmico favorável (Pacientes com câncer que estão sendo tratados com quimioterapia, pacientes com doenças sistêmica como a Leucemia, Diabetes não controlada, entre outras). Essas perdas são evitadas na sua maioria pelo correto planejamento e execução do caso por profissionais adequadamente habilitados.
Os estudos de acompanhamento clínico estão próximos de 50 anos e os resultados com esta técnica permanecem estáveis com o passar do tempo. Porém não devemos esquecer que uma boa higiene diária e as consultas de manutenção são requisitos indispensáveis para o bom funcionamento de nossas próteses.
Para os pacientes que possuem boa quantidade óssea, atualmente já é possível a realização de implante dentário com carga imediata. Nestes casos o implante é colocado, e  a prótese provisória pode ser instalada imediatamente. 
Nos casos onde o osso está extremamente atrofiado, em pouquíssima quantidade, usamos os enxertos ósseos.
Há diversos tipos de enxertos, sendo que os melhores e mais utilizados são os chamados autógenos, quando o doador é a própria pessoa. A indicação por um ou outro tipo depende do caso e da opção do paciente. Estamos preparados para a realização de reabilitações com enxertos ósseos.
 
Indicações do implantes
- Perda de um ou mais dentes.
- Possibilidade de perder uma prótese fixa, quando um ou mais dentes naturais se enfraquecem. 
- Alterações na estética facial devido à perda dos dentes.
- Falta de confiança no falar ou rir. 
- Risco de perda de dente por doença periodontal (gengiva).
- Dificuldade de mastigar certos alimentos.
- Prótese total (dentadura) ou parcial (ponte móvel) solta.
 
O tratamento com implantes tem melhorado a vida de muitas pessoas trazendo benefícios e vantagens tais como:
- Melhora da saúde graças à capacidade de mastigar uma ampla variedade de alimentos nutritivos.
- Melhora da auto-estima do paciente pois a  restauração da boca da forma pode ficar mais parecida com o estado natural; devolvendo uma harmonia estética facial e dentária.
- Maior conforto e confiança devido à eliminação de próteses totais ou próteses parciais mal ajustadas ou soltas.
- Evita o desgaste de dentes vizinhos, necessário para a colocação de próteses fixas sem implantes.





Odontologia Estética


Odontologia Estética

Dentes manchados, escurecidos, curtos, tortos ou muito separados deixam o sorriso feio, o qual muitas vezes, ofusca a beleza de todo o rosto. Essas imperfeições podem inibir o sorriso espontâneo podendo tornar a pessoa complexada e até atrapalhar seu convívio social, por isso, o indivíduo com o sorriso saudável, dentes mais brancos e belos torna-se mais feliz, sua auto-estima aumenta e as relações familiares e sociais se tornam mais prazerosas. 

Quem já não achou lindo o sorriso de alguém? O sorriso é o primeiro movimento de amor dos bebês, é a arte do sentimento, inspiração da natureza e é por isso que consideramos o sorriso como o movimento mais lindo e sincero do ser humano.
 
A odontologia estética (dentística) divide-se basicamente em 2 partes:
 
1- Restaurações “invisíveis”
Devido à evolução dos materiais odontológicos associado à técnicas de esculturas aprimoradas, hoje em dia, é possível fazer restaurações aparentemente imperceptíveis.
A opção de troca de uma restauração metálica (amálgama ou bloco), por uma restauração “branca e da cor do dente” se dá por dois principais motivos: 
Por problemas que envolvam a função, que é a de manter a saúde do dente, como por exemplo no caso de uma infiltração, ocasionando reicidiva de cárie ou de uma fratura na restauração metálica já existente; 

2- Ou por motivo exclusivamente estético.

É válido lembrar, que em termos de estética, é óbvio que restaurações como resinas ou de porcelana são superiores às metálicas, mas já em termos de função, a durabilidade de uma restauração metálica é uma característica marcante, pois quanto mais tempo ela atua na boca, existe uma melhor adaptação, e em relação ao desgaste, o desgaste de materias como as resinas ou porcelana, é maior do que o metal.
 
Clareamento Dental
Muitas vezes os dentes podem apresentar alterações de cor causadas por hábitos, tais como: o uso abusivo do cigarro, café, chá, Coca-Cola, alimentos com corantes, ou acúmulo de bactérias devido a má higiene bucal, estes hábitos podem tornar os dentes escuros, manchados e sem brilho. Outras vezes, os dentes podem apresentar-se amarelos por envelhecimento, fatores genéticos, problemas internos e uso excessivo de antibiótico (tetraciclina) quando criança. Mas hoje em dia, já é possível branquear ou clarear seus dentes com segurança.

As técnicas de clareamento utilizadas pela CLÍNICA SORRIO são:

-CLAREAMENTO CASEIRO- Feito em casa, mesmo assim deve ser supervisionado pelo dentista, pois o gel oxidante usado pode causar irritação na gengiva e na boca, se não for aplicado corretamente. O tratamento é feito a noite, antes de dormir a pessoa coloca uma moldeira fina e transparente de acetato (feita pelo dentista com o formato exato dos seus dentes) preenchida com um pouco de gel oxidante. Em contato com os dentes, o agente clareador age sobre o esmalte e a dentina liberando oxigênio e quebrando as moléculas causadoras das manchas.

-CLAREAMENTO FEITO NO CONSULTÓRIO: É quase igual ao caseiro, mas o gel  utilizado é mais forte. Geralmente subdivide-se em:

A) CLAREAMENTO COM O USO DE LASER E DE LÂMPADAS ATIVADORAS (Fotopolimerizador), que tem a função de potencializar a ação do gel oxidante, fazendo o resultado aparecer mais rápido. Ele age como catalisador, acelerando o processo de clareamento. Esse método, quando comparado ao clareamento caseiro, tem por vantagem o fato de ter efeitos bem mais rápidos, porém o resultado é semelhante.
B) CLAREAMENTO EM DENTES COM TRATAMENTO ENDODÔNTICO (com tratamento de canal) que é feito em dentes isolados com alteração de cor. O gel (mais concentrado) é inserido no interior do dente e deve ser trocado pelo dentista, podendo ser, ou não, combinado com o clareamento a laser e/ou caseiro (feito com moldeiras geralmente utilizadas à noite.

Os produtos utilizados no clareamento não promovem nenhum prejuízo a saúde bucal e geral do paciente, se utilizados corretamente conforme orientação. O paciente deve saber que após o clareamento, às vezes, é necessário trocar ou retocar as restaurações antigas, pois as restaurações não sofrem ações dos clareadores, podendo parecer mais escuras frente aos dentes clareados, causando desarmonia estética. A manutenção geralmente é feita de 1 a 4 anos, dependendo da dieta do paciente (ingestão de alimentos com corantes), cigarro  e de outros fatores.





Odontopediatria


Como a cárie atua em um dente:
O primeiro passo para uma boa saúde bucal da criança começa na gestação. Por isso, é importante que haja orientação aos pais antes mesmo da criança nascer.
A dieta e hábitos alimentares da mãe são fatores determinantes da saúde geral e dentária do bebê. A ingestão de medicamentos pode ser prejudicial à formação dentária. O uso prolongado de antibiótico, por exemplo, pode causar pigmentações ou até manchamento nos dentes.
A gestante deve restaurar todas as cáries, tendo em vista que a cárie ativa e a grande concentração de microrganismos na boca pode ser transmitida ao recém nascido, aumentando potencialmente as chances da criança vir a ter alto risco de cárie.
A primeira consulta do bebê, deve ser feita aos seis meses de idade, com a  erupção dos primeiros dentes, geralmente os incisivos centrais inferiores. Assim, começamos a introduzir bons hábitos de saúde oral, prevenindo qualquer doença. Além disso, o uso de chupetas ou mamadeiras além do tempo pode acarretar problemas de crescimento facial e cárie precoce, respectivamente. Suas conseqüências podem ser minimizadas com prévia orientação. 
A cárie dentária é uma doença infecto-contagiosa derivada de muitos fatores. Com orientação de higiene bucal (escovação adequada e uso de fio dental), uso de flúor, alimentação adequada e hábitos saudáveis, esta doença pode não aparecer. Por isso o exame precoce da criança, seguido de consultas regulares de revisão, contribui em boa saúde para toda a vida.





Ortodontia


Aparelhos fixos e removíveis buscando a correção dos dentes, oclusão e a estética perfeitas. Atualmente na utilização de aparelhos ortodônticos fixos, o paciente pode optar pelos aparelhos com "brackets" estéticos ou metálicos.





Periodontia


 

Dentes e gengivas saudáveis   Gengiva e osso com inflamação       Grande inflamação e perda óssea
  
 
Tratamento de problemas nas gengivas que dão sustentação aos dentes: sangramento, inflamação e inchaço na gengiva, dentes moles, acúmulo de tártaro e mau hálito.
A gengivite quando não tratada, nos casos mais leves, pode causar retrações gengivais e, junto à alguns fatores, como por exemplo ao fator hereditário (passa de pai para filho), pode evoluir para um problema mais grave, que é a doença periodontal, causando a destruição das fibras e ligamentos periodontais, como do osso que fica ao redor da raiz, deixando os dentes “moles”, podendo resultar em sua perda.
 
O tratamento pode variar desde uma instrução dos pacientes à correta escovação, como uma simples "limpeza" com evidenciação de placa bacteriana (resto de alimentos e bactérias) aderida aos dentes e o tártaro (é quando a placa bacteriana endurece junto ao cálcio) com uso do aparelho de ultrassom e jato de bicabornato; limpezas sequenciais, incluindo raspagem sub-gengival para controle de bolsas no interior das gengivas e até mesmo cirurgias.
 
 
 
Dentes inferiores com acúmulo de tártaro devido a má higiene

 

Plástica gengival
É um procedimento cirúrgico que objetiva melhorar a estética do sorriso, reduzindo o tamanho da gengiva e modificando o seu contorno. Essa técnica é indicada para aquelas pessoas que, ao sorrirem, mostram bastante a gengiva.





Prótese Dentária


Próteses removíveis (dentaduras e roachs)
É a recuperação dos dentes danificados ou extraídos através do uso de dentes artificiais, e pode ser dividida em 2 tipos: fixa ou removível.
 
Tipos de próteses removíveis
 

 
Prótese Fixa
Coroas, facetas e pontes em porcelana
 
As próteses fixas têm por finalidade restaurar a anatomia, a função e a estética dos dentes perdidos e/ou danificados, e sua principal característica é de serem cimentadas à boca, só podendo ser removidas pelo dentista, e que, tem um resultado estético excelente.

Os dentes para funcionarem bem precisam estar em equilíbrio nos arcos dentários superior e inferior, sempre submetidos a um sistema de forças dos músculos da mastigação, lábios, bochechas e língua. A perda de um só dente desequilibra esse sistema e os dentes movimentam-se, com isso, a mastigação e a estética ficam prejudicadas. Resumindo, os dentes perdidos precisam ser substituídos rapidamente para o sistema mastigatório manter-se em equilíbrio. 

 

« Exemplo de ponte fixa a ser cimentada sobre os dentes preparados.
 
As Próteses metalo-cerâmicas são próteses fixas que unem as propriedades da porcelana e do metal. A porcelana consegue reproduzir com perfeição o elemento dental perdido enquanto a estrutura metálica confere uma grande resistência à prótese, possibilitando a confecção de pônticos (espaços refenterentes aos dentes perdidos em uma prótese fixa).

As coroas e Próteses Fixas "Metal Free" em porcelana pura, In Ceram e Procera; podem ser unitárias ou de até 3 elementos, semelhantes às Metalo-Cerâmicas. A diferença principal é a de possuir estrutura não-metálica. Seu resultado estético é excelente.

Dente de porcelana a ser cimentado na boca
 
 

 

Coroa para Dentes Anteriores


O que é coroa? 
É o nome que se dá a uma prótese que visa substituir a coroa de um dente natural que foi prejudicada em sua estrutura e em sua beleza. 
É necessário afinar (desgastar) o dente para confeccionar uma coroa? 
Sim. Somente dessa maneira se obtém espaço suficiente para a confecção de uma coroa semelhante à forma e ao tamanho de um dente natural. 
Quais os tipos de materiais utilizados? 
Resina acrílica e porcelanas. Para dar maior resistência, pode-se utilizar estruturas internas de metal (ligas de ouro ou ligas alternativas). 
Qual a diferença entre resina e porcelana? 
A resina é um material de manuseio mais simples que a porcelana. Apresenta um maior desgaste e, com o tempo, a alteração da cor também é maior. A porcelana apresenta maior dureza e estabilidade de cor e supre melhor o quesito estético. 
Há riscos de fraturas? 
A coroa artificial, quando bem executada, corre os mesmos riscos que os dos dentes naturais, estando exposta aos mesmos acidentes. Os cuidados devem ser iguais aos tomados com os dentes naturais. 
É necessário tratar o canal de um dente que irá receber uma coroa? 
Sempre que possível, deve-se evitar o tratamento de canal. Isso, em algumas situações, é necessário para que, dentro do canal tratado, seja instalado um pino metálico, a fim de aumentar a resistência do dente e para reter a coroa artificial. 
Enquanto a prótese é confeccionada no laboratório, o que se usa sobre o dente desgastado? 
Coroas provisórias de acrílico, que são executadas imediatamente e colocadas sobre o dente desgastado, suprindo as necessidades estéticas e funcionais. Essa coroa, depois, será removida e substituída pela chamada "definitiva". 
Como a coroa é fixada ao dente? 
O próprio encaixe sobre o dente desgastado já é uma forma de retenção, que será melhorada com agentes cimentantes específicos que, além de aumentarem a retenção, irão promover o vedamento. 
Qual o motivo do escurecimento próximo à gengiva? 
Muitas vezes, esse escurecimento é causado pela transparência dos tecidos gengivais que, por serem finos, mostram a sombra de uma raiz escurecida. Outras vezes, é a cinta de metal que, por falha técnica, ficou visível, ou ainda porque houve um afastamento gengival expondo a área da emenda entre a coroa artificial e o dente. 
Quanto tempo dura uma coroa? 
A durabilidade dependerá, por parte do profissional, da acertada indicação, execução e escolha do material e, principalmente, por parte do paciente, através dos cuidados com a higienização e a utilização dessa prótese. Não existem prazos definidos de longevidade, por esta depender de inúmeros fatores.
 
 
FACETAS LAMINADAS
É um tipo de restauração que envolve somente a parte frontal dos dentes, muito utilizada por artistas e pessoas famosas, podendo ser confecionada diretamente (com o uso de resinas) ou indiretamento (é feito um molde e envio à um laboratório de prótese). As facetas indiretas ou blocos podem ser feitas de resinas laboratorias, chamadas de cerômeros, que seriam resinas com partículas de porcelana. Geralmente as facetas são indicadas pelo fator estético, pois é capaz de corrigir problemas como dentes excessivamente escuros, com manchamentos ou excessivamente restaurados na face frontal, além disso, corrigir problemas anatômicos de dentes mal formados. As facetas possuem indicações e contra-indicações assim como todo material da odontologia. Em muitos casos é válido realizar uma restauração protética maior (coroa de jaqueta) do que uma faceta, por isso deve haver uma avaliação prévia de um profissional qualificado.
As facetas têm por vantagens a preservação da estrutura dentária, pois o desgaste para se realizar uma coroa de jaqueta, por exemplo, é bem maior.
 
 
Próteses removíveis (dentaduras e roachs)
Podendo ser fixa ou removível, a prótese reabilita o mastigar, falar e sorrir, melhorando a qualidade de vida e devolvendo, em muitos casos, autoconfiança e segurança perdidas. As próteses removíveis do tipo “roach” são indicadas, de modo geral, para casos de perda de grande número de dentes, principalmente em casos onde não há possibilidade de colocação de implantes. Este aparelho se fixa na boca através de grampos metálicos apoiados em dentes naturais (dentes pilares).
 
Existem também sistemas de retenção sem grampos nas próteses móveis, do tipo macho/fêmea, os "Attachments". Este sistema utiliza uma técnica mais sofisticada e tem melhor aceitação entre os pacientes, pois proporciona melhor estética e estabilidade e não apresenta o inconveniente de ter um grampo metálico de retenção aparecendo a frente dos dentes.

Prótese removível com encaixe
 
Próteses Totais ou dentaduras são dispositivos utilizados quando há perda de todos os dentes. Seu sistema de retenção é somente adesão sobre a gengiva. Uma boa prótese total, deve ser substituída a cada 5 anos mesmo que o paciente se sinta bem com ela. Com o uso constante ocorre, sem que o paciente perceba, um desgaste dos dentes e uma diminuição do osso na parte interna da prótese. Isto pode a longo prazo causar problemas nas articulações da mandíbula (ATM) pela diminuição da altura da mordida. Com o advento dos Implantes, novas perspectivas se abriram para a solução de casos dificeis com pouca retenção e estabilidade das próteses totais.

Durante muitos anos foram utilizadas na confecção de próteses totais e parciais removíveis, resinas que imitavam as gengivas do paciente de maneira apenas satisfatória por haver apenas uma cor disponível, o rosa-claro. Hoje em dia se sabe que apenas 5% da população mundial tem as gengivas desta cor e por variações na idade e raça do paciente podem haver uma infinidade de cores possíveis, o que prejudica a estética principalmente nos casos onde o paciente mostra a gengiva ao sorrir. Hoje existem técnicas e materiais laboratoriais para confecção de próteses parciais removíveis e totais com as chamadas "Gengivas Caracterizadas" ou "Personalizadas" onde através de uma escala de cores, o dentista escolherá a cor mais adequada para a gengiva de cada paciente, dando às próteses uma naturalidade estética muito maior.





Odontologia Estética

 



Dicas de higiene



Brackets "invisíveis"



Tourist Welcome

 
Rua Santa Clara, 115 / 204 - Copacabana - Rio de Janeiro/RJ  |  +55 (21) 2547-4468  
Copyright © 2014 | Sorrio  -  Serviço Odontológico Reabilitador do Rio de Janeiro  |  Designer www.leolemos.net  |  Desenvolvido por HOSTCOM